domingo, 11 de abril de 2010

110410 - Férias Inesquecíveis em Pai Mané do Ceará - POR Iris Pereira



Quarta feira, 07/04/2010, 21.35 horas, está muito frio exatamente por isto me chegam lembranças de um tempo quente e já bem distante.

Minha juventude chega assim tão viva que mexe comigo. Tempo de alegria, colorido, tudo era festa, até as dificuldades eram mais facilmente resolvidas ou esquecidas. Eu nunca fui realmente muito fácil de me comunicar, mas havia algo em mim que chamava atenção e logo fazia amizades e por muitas vezes duradouras. Eu tive grandes amigas e juntos passamos tempos inesquecíveis
Eu tive amigas que parecíamos irmãs de tanto que andávamos juntas. Uma amiga que eu convivi por mais tempo foi a Rosa ( Roselita), filha da dona Luisa que me recebia no Pai Mané como se eu fosse sua filha. A Rosa tem muitos irmãos, porém convivi mais com Creuza, Suzete, Quinha e Isô. Tinha ainda uma que morava junto com eles na rua presidente Kennedy sendo meus visinhos em Crato a prima Eliziê. A Rosa era mais velha do que eu, por isto mesmo tinha mais senso de responsabilidade e me orientava em tudo que eu precisava. Ela trabalhava como secretária na câmara municipal do Crato e era muito estudiosa e muito aplicada
Cursava o magistério no colégio Santa Teresa e eu o básico na escola técnica do comércio do Crato. Ho! tempo bom aquele. Eu era aquele tipo de moça que todos pensam uma coisa e era outra, por ser sapeca demais e namoradeira todos prestavam muita atenção em mim e falavam que eu ia cair na boca do povo. Eu nem ligava.
Queria mesmo era me divertir. Mas tinha minhas responsabilidades e dois irmãos ciumentos pra cuidarem de mim, além disto prometi pra mim mesma que só casaria virgem, coisa que na época era o mais evidente, quase todas minhas amigas eram virgens, ou escondiam muito bem isto.
Enfim eu já era uma sonhadora e desde este tempo já gostava de fugir do tumulto e da conturbada vida.
Sair voando, fantasiando, criando coisas que só no meu pensamento existiam. Ha! Como eu gostava de escrever, mas rasgava tudo por achar bobagens demais e às vezes até proibidos e censurados. Gostava de ler romances. Devorei todos do José de Alencar, meu primeiro presente do meu irmão Auderico.
Outra coisa que eu gostava era viajar para os sítios das minhas amigas, hora era pra Guaribas com Carmelia Batista, hora pra Ponta da Serra com Ana Bolena ou para o Pai Mané com Rosa e suas irmãs. Lá era um lugar cheio de morros, lindo pelo menos eu achava e tenho em minha lembrança. Quando chegávamos lá era uma correria, limpa casa, varrer terreiro, deixar tudo em ordem pra noite recebermos a turma do Pai Mané de cima, eram as meninas Vanda, Valda, Valdísia, Valdênia, Valderir, Valmir e Valtim todos filhos de seu Valdemiro. Lá moravam também os filhos do casal João Sátiro e dona Marieta: Giovani, Zé Jaime, João Eudes, Francisco Jairo, Marilê, Nailê, Leda, Maria das Graças, e Socorro e Antomio. Ao reunirmos essa turma com mais as primas da Rosa. Lúcia e Maria Fernandes e seu irmão Francisco e mais alguns que no momento falha-me a memória. A festa acontecia por todas as férias. Muito bom mesmo fazíamos tertúlia ( dança) ou simplesmente sentávamos em volta de um grande cimentado que era pra secar o feijão, arroz ou qualquer outros grãos. Ali brincávamos de tudo um pouco. Passa anel, quem bate pagar prendas, hum! essa era a predileta. Os mais assanhados sempre pediam um beijo, olha com toda inocência, um beijo no rosto, muito embora estivesse morrendo de vontade de beijar na boca. Era muito bom. Que tempo mais delicioso. Os rapazes mais bonitos eram muito requisitados e as moças desfilavam charme para chamarem suas atenções. Eu escolhi o Giovani assim que a Vanda o apresentou.Eu tive certeza que namoraria com ele nem que fosse só naqueles dias. Investi forte, paquerei, inventei brincadeiras, me botei bonita,quero dizer, o espelho me dizia que eu podia ir enfrente.Em uma noite de lua bem clara subimos pro Pai Mané, de cima lá a turma nos esperava. Nós chagamos na casa do Giovane e do Zé Jaime, a casa deles tinha uma mureta em volta da sala, lembro que ficamos lá sentados e brincamos de prendas, em um certo momento da brincadeira eu teria que pagar prenda pro Giovani, claro que a turma conspirou pra isto, então ele pediu um beijo, eu dei no rosto, tive que me esticar toda e ficar nas pontas dos pés mas dei-lhe um beijo. Hi! Foi muito farra que fizeram com isto. Então ele pegou em minha mão e levou-me pra sentar na calçada da casa da Vanda. Claro lá então demos o tão esperado beijo nos lábios. Lembro que o Zé Jaime namorou com a Carmélia, outra amiga inseparável lá do Crato da familia Luna e Batista.
A volta pra casa era sempre acompanhado pelos rapazes e era feito com grande algazarra, era muito divertido e sadio. Como éramos todos tão livres, puros e tão fieis aos princípios que nossos pais nos passaram. Eu guardo muitas lembranças também das pessoas mais velhas de lá, só não lembro os nomes, mas tenho a aparência de cada um deles na minha memória. Eu sempre gostei de conversar com as pessoas mais velhas e adorava ouvir suas estórias e seus relatos.
Bom, durante estas férias fui muito feliz, realizei o que eu mais queria, brinquei bastante, dancei muito, namorei quem eu estava querendo e voltei sem sofrer e sem fazer ninguém sofrer. Foi pura diversão Ho! Tempo que não volta mais, mas que valeu todo segundo vivido.

Lembranças da Irismar, contadas por Iris.

FONTE: http://www.irisreflete.com/

NOTA: As fotos são do ÀLBUM DE FAMÍLIA do Seu João Sátiro e D. Marieta e de responsabilidade do editor deste blog

4 comentários:

Iris Pereira disse...

Ao Senhor editor que as fotos colou, não tenho palavras pra lhe dizer como
com meu pobre coração já tão cheio de saudades o senhor remexeu. Se ao relatar as férias fui longe na minha memória as lembranças buscar, assim ficou fácil vendo essas faces que um
dia estiveram diante de mim. Adorei
seu presente.

Antonio Correia Lima disse...

Tentarei adquirir mais fotos

Vicente Almeida disse...

Iris Pereira

Eu sou a Valdênia de Valdemiro. Vi o seu comentário e as fotos postadas da minha família e do João Sátiro e como você, me emocionei.

Estou tentando lembrar de você para maior contato.

Amigas de Roselita sempre fôram minhas amigas também, e o que você narrou lembra tempos de um passado realmente muito bom.

Em breve postarei para seu conhecimento fotos atuais da minha familia neste mesmo blog da Ponta da Serra.

Para seu conhecimento aqui vai o nosso E-mail.

milenio-v@ig.com.br

Aceite um forte abraço

Vicente Almeida disse...

Iris

Vicente Almeida é o meu esposo. Escrevi para você na conta dele.