domingo, 11 de outubro de 2009

111009 - Notícias do Meio Ambiente


Chile em primeiro rumo aos Objetivos do Milênio
Por Suzanne Hoeksema, da IPS

Nações Unidas, 01/10/2009 – O Chile lidera a corrida entre os países latino-americanos e caribenhos rumo aos Objetivos de Desenvolvimento para o Milênio da Organização das Nações Unidas, enquanto Honduras está muito atrás, afirmou a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), Alicia Bárcena. Em entrevista à IPS, fez uma resenha dos principais êxitos e desafios para a região conforme se aproxima 2015 – prazo para o cumprimento dessas metas – em meio à crise financeira internacional.Redução da pobreza, saúde infantil, educação primária estão entre as metas que mais provavelmente serão a......


Aquecimento Global: clima de desconforto para seguradoras
Por Fabrício Ângelo, da Envolverde - especial para o Instituto Ethos

O pagamento de indenizações por conta de tragédias ambientais pode chegar a US$ 120 bilhões até 2020. Ser sustentável pode ser um diferencial na hora de contratar seguros. Os riscos de sinistros ligados às mudanças climáticas mudam os custos das operações, para o bem, no caso de empresas responsáveis, ou para o mal, no caso de empresas que não incorporaram suas externalidades. De acordo com Suhnny Sehgal, especialista em seguros do HSBC na área de sustentabilidade, o tema entrou no debate há cerca de cinco anos e “diversas seguradoras já estão estudando em como se adaptar às novas condições de risco, geradas pelas mudanças climáticas&rd......


Não é preciso ser verde para ser verde?
Por Márcia Pimenta*

Sustentabilidade é a palavra do momento e tem muita empresa se declarando sustentável, por aí. Financiar ou elaborar um projeto social não é a mesma coisa que afirmar que se compromete com a responsabilidade social. É sim uma forma de rebatizar as ações filantrópicas que, por serem pontuais, poucas chances têm de promover alguma mudança no longo prazo. Tomemos como exemplo os bancos que investem em ações sociais ou alavancam ações internas como coleta seletiva ou troca de lâmpadas e equipamentos por outros mais eficientes. São ações que de alguma forma diminuem o impacto de suas atividades e geram economia, mas não impactam de forma positiva ......

FONTE: REVISTA ENVOLVERDE > http://envolverde.ig.com.br/?materia=63906&edt=1

COLABORAÇÃO: ALBERTO BRITO

Um comentário:

A.Morais disse...

Meio ambiente é com a Marina Silva mesmo.