quarta-feira, 4 de novembro de 2009

041109 - CRIMINALIDADE AUMENTA NOS SÍTIOS E DISTRÍTOS


falta de policiamento tem trazido insegurança aos moradores de Ponta da Serra.

O distrito do Crato está sendo alvo da ação constante de bandidos e os casos de violência se tornaram mais freqüentes depois que o único posto policial da comunidade foi desativado.
A comunidade de 11 mil habitantes tem sido refém da criminalidade. Assaltos nas mercearias e bares da cidade têm ocorrido com freqüência durante as sextas-feiras e aos finais de semana. “Os distritos e os sítios passaram a ser os locais preferidos para a atuação dos bandidos. Com a chegada do Ronda do Quarteirão nas cidades, os criminosos fugiram para onde não há policiamento”, comenta o comerciante Ricardo Alencar, ao tentar encontrar uma explicação para o aumento da violência em Ponta da Serra.
A líder comunitária Marinete Belizário, que coordenava o posto policial, diz que havia ainda um Grupo Policial Militar (GPM), que não atua mais no distrito. Ela informa que a situação foi levada às autoridades policias, mas não obteve explicações para o descaso, “já procurei as secretarias, Câmara de vereadores e nada resolveu. Há dois anos somos vítimas da criminalidade, agora faço um apelo ao secretário de Segurança Pública do Estado, Roberto Monteiro”, argumenta.
A casa onde funcionava o posto foi cedida pela igreja, às instalações são precárias, mas apesar do abandono, Marinete sempre está zelando o espaço. Além de fazer este trabalho, ela tem procurado estabelecer o contato entre a comunidade e a polícia. “Quando há uma ocorrência, eu sempre junto as informações e repasso tudo para os agentes”, conta Marinete. A líder do Conselho Comunitário já recebeu diversas homenagens do Corpo de Bombeiros e da Policia Civil pelo auxílio prestado aos serviços de segurança. De acordo com o Major Hermann Macêdo, do 2° Batalhão de Policia Militar, o policiamento na área só poderá ser feito através de viaturas e após o registro de ocorrências. “Nós não temos conhecimento de que há um número elevado destes casos na Ponta da Serra, as viaturas só saem após as denúncias, além disso, o nosso efetivo de agentes é limitado”, explica o major.
Ele informou também que os GPMs não são mais utilizados e que este modo de trabalho está praticamente extinto. Enquanto o policiamento preventivo não ocorre, os moradores do distrito aguardam uma medida que possa resgatar a segurança da população das localidades mais afastadas dos centros urbanos.
“Nós cidadãos, pagamos nossos impostos e temos direito á segurança, vários distritos estão desamparados no que se refere a este benefício, esta medida deveria ser prioridade para os governantes” reclama o comerciante Ricardo Alencar.
Fonte Jornal do Cariri

Um comentário:

A.Morais disse...

Meu caro Antonio.

Este é um fato que preocupa muito. A falta de segurança é generalizada. Já não se teme mais as leis. A desobediencia é total. O supremo que era serio antes, agora parece brinquedo. O senado está debochando. Tudo isto é resultante dos homens que foram nomeados para corte. Mas eu quero falar é de coisas boas. Parabens pela aprovação no concurso para professor de Historia. Que seja muito feliz no resto da avaliação.
Abraços.
A. Morais