terça-feira, 20 de julho de 2010

RESPOSTA À REVISTA PROVÍNCIA - POR: Antonio Correia Lima


"VOTE NÃO NO PLEBISCITO. DIVIDIR É ENFRAQUECER”.

Antes de tecer qualquer comentário a respeito da matéria em epígrafe, quero registrar a minha a

dmiração pelo professor e jornalista Jurandy Temóteo.Dizer da minha gratidão pelo mesmo ter colocado à disposição de Ponta da Serra, na edição de N 25, de janeiro de 2007, um espaço de 9 páginas para que pudéssemos publicar “A origens e Povoamento de Ponta da Serra”, como também a letra do nosso Hino. Hoje nossos alunos contam com um excelente material para realizarem suas pesquisas históricas

Em tempos passados, o professor Jurandy dedicou, também, seu prestimoso tempo em escrever alguns artigos a respeito do distrito de Ponta da Serra

Sabemos do forte laço que lhe une a nossa comunidade, através do seu cunhado Rocélio Brito, um grande apaixonado por sua terra natal, e certamente está torcendo pela nossa emancipação política. Acredito que o mesmo não vá levar à frente uma campanha ferrenha contra o nosso movimento, e até acho que ele não poderia deixar de expor seu pensamento através da sua revista, sobre o tema.

Quero dizer que não me causou surpresa essa matéria, pois, o Professor Jurandy já me havia dito que era contrário a nossa emancipação política, e perguntado se iria fazer campanha contra ele respondeu que não, mas “deste banquete não iria participar”.

Com certeza não haverá nenhum banquete, e serei o primeiro a sugerir convite ao prezado amigo para a festa da vitória do nosso Plebiscito, por acreditar que ele deu uma grande contribuição para a construção da nossa historiografia.

Com todo respeito à Revista Província e ao seu editor, gostaria de discordar de parte do importante artigo, que serviu de editorial da conceituada revista.

Como se ver, o amigo se apegou, para justificar que o Crato perderá com a nossa emancipação, aos nossos argumentos, quanto ao nosso potencial, no Perfil Distrital, uma das peças do Projeto de Emancipação de Ponta da Serra. Lá nós indicamos todo o potencial do referido distrito, fato esse, que foi confirmado pelos órgãos municipais, estaduais e federais, tais como, Prefeitura Municipal do Crato, IBGE, IPECE, TRE, Receita Federal e Estadual, como também, por um auditor da Assembléia Legislativa, que esteve em nossa sede, checando toda a infra-instrutora exigida pela Lei de Criação de Novos Municípios.

Há anos venho acompanhando esse assunto, tanto a nível de AL - CE como de Congresso Nacional.

Sobre os argumentos do Deputado Heitor Férrer, é importante dizer que ele votou contra a Lei de Criação dos novos municípios, pelos motivos relatados na matéria, mas votou a favor dos Decretos Legislativos que autorizam o TRE a realizar o Plebiscito nos distritos que tiveram seus projetos aprovados pela AL, recentemente.

Quando afirmamos que Crato não perderá com emancipação de Ponta da Serra é porque temos dados que provam o que afirmamos, pois, Crato continuará com o mesmo coeficiente do cáculo do FPM, que é de 3.2. Isso porque, sua população, baseada na contagem de 2007 é de 111.198 habitantes (faixa de 101.881 a 115.464). Com o desmembramento de Ponta da Serra, o Crato terá uma diminuição populacional de 8.611 habitantes, ficando, portanto, com uma população de 102, 585.

Matematicamente falando, Crato lucrará, pois, continuará recebendo o mesmo repasse do FPM, sem mais arcar com os gastos do referido distrito.

A respeito da suposta perca no número de vereadores do Crato, utilizamos a mesma lógica anterior. Segundo a Resolução 21.702/04, do TSE, o Crato se enquadra, atualmente, na faixa entre 95.239 habitantes até 142.857, com direito a 11 cadeiras no Legislativo, portanto, continuará com a mesma quantidade de vereadores, de acordo com a resolução citada acima.

Não é verdade que estamos omitindo que o plebiscito deverá envolver todo o eleitorado do Crato, é só ver as matérias publicadas no Jornal e no Blog da Ponta da Serra, como também no Blog do Crato. A nossa Amplificadora está diariamente reproduzindo áudios da FM- AL, com todas as informações a esse respeito.

Estamos aguardando a confirmação da data do nosso Plebiscito para iniciarmos uma campanha de esclarecimento a população em todo o município do Crato.

Lembramos ao amigo Jurandy, que assim como o então distrito de Crato, pleiteou sua emancipação política, se desligando de Missão Velha, hoje, o distrito Ponta da Serra, também almeja sua emancipação, o que é justo e de direito.

Lembramos, também, que muito lutamos para a não inclusão dos distritos Monte Alverne e Dom Quintino, no nosso projeto, defendido por alguns, quando, aí então, o Crato iria perder

Finalmente, ressaltamos não existir nenhum ressentimento contra o amigo professor Jurandy por sua firme convicção, contrário ao nosso movimento, pelos motivos que relatamos no início deste texto.

3 comentários:

Iris Pereira disse...

Muito boa resposta Antonio, foste esclarecedor sem perder o respeito e admiração que tens pelo professor e jornalista Jurandy.
Como sempre tens resposta inteligente e sábia, pois sei que realmente tens estudado a fundo sobre o assunto.
Posso ser leiga neste assunto, mas pelo tanto que já li e reli, aprendi que neste caso, DIVIDIR É ACRESCENTAR: Serão mais pessoas a serem beneficiadas, enquanto ninguém perderá, na cidade de Crato.
Íris Pereira

Antonio Correia Lima disse...

"DIVIDIR É ACRESCENTAR"

Olá íris, se não me engano, você já usou esse argumento antes. A partir de agora vamos nos apossar desse seu argumento para contrapor o do Jurandy

Iris Pereira disse...

fique à vontade amigo Antonio para usar meus comentários e textos como convir para o bem de nossa PONTA da SERRA, se tudo dependesse de amor pela terra...
Íris Pereira