sábado, 27 de fevereiro de 2010

270210 - Ψ Psicologia no Cotidiano – Ansiedade – Por César Mousinho Ψ

um sentimento de apreensão desagradável,Vago, acompanhado de sensações físicas como vazio (ou frio) no estômago (ou na espinha), opressão no peito,palpitações, transpiração, dor de cabeça,
ou falta de ar, dentre outros,

A ansiedade é um sinal de alerta, que adverte sobre perigos iminentes e capacita o indivíduo a tomar medidas para enfrentar ameaças. O medo é a resposta a uma ameaça conhecida, definida; ansiedade é uma resposta a uma ameaça desconhecida. A ansiedade prepara o indivíduo para lidar com situações potencialmente danosas, como punições ou privações, ou qualquer ameaça a unidade ou integridade pessoal, tanto física como moral. Desta forma, a ansiedade prepara o organismo a tomar as medidas necessárias para impedir a concretização desses possíveis prejuízos, ou pelo menos diminuir suas conseqüências. Portanto a ansiedade é uma reação natural e necessária para a auto-preservação. Não é um estado normal, mas é uma reação normal, assim como a febre não é um estado normal, mas uma reação normal a uma infecção. As reações de ansiedade normais não precisam ser tratadas por serem naturais e auto-limitadas. Os estados de ansiedade anormais, que constituem síndromes de ansiedade são patológicas e requerem tratamento específico. Os animais também experimentam ansiedade. Neles a ansiedade prepara para fuga ou para a luta, pois estes são os meios de se preservarem.

Bebê- A ansiedade é normal para o bebê que se sente ameaçado se for separado de sua mãe.

Criança - para a criança que se sente desprotegida e desamparada longe de seus pais.

Adolescentes- para o adolescente no primeiro encontro com sua pretendente ou nas vésperas de uma entrevista para um emprego e vestibulares.

Adulto- para o adulto quando contempla a velhice e a morte, e para qualquer pessoa que enfrente uma doença.

A tensão oriunda do estado de ansiedade pode gerar comportamento agressivo sem com isso se tratar de uma ansiedade patológica. A ansiedade é um acompanhamento normal do crescimento, da mudança, de experiência de algo novo e nunca tentado, e do encontro da nossa própria identidade e do significado da vida. A ansiedade patológica, por outro lado caracteriza-se pela excessiva intensidade e prolongada duração proporcionalmente à situação precipitante. Ao invés de contribuir com o enfrentamento do objeto de origem da ansiedade, atrapalha, dificulta ou impossibilita a adaptação.

Por vezes a pessoa que sofre de ansiedade, sente uma necessidade de estar sempre a fazer coisas por forma a fugir do seu estado emocional para que se sinta melhor.Normalmente as pessoas ansiosas são "nervosas", apreensivas e têm dificuldades na concentração e de reflexão.Como sofrem de uma agitação e mal estar constante por vezes têm dificuldade em dormir ou têm um sono não reparador podendo ter sonhos e pesadelos ou um sono leve o que as leva a sentirem-se cansadas ou com pouca energia durante o dia.Por vezes existem sensações corporais como excesso de transpiração, taquicardia, transtornos respiratórios, dores de estômago, más digestões, perturbações intestinais e outras alterações do sistema nervoso autónomo.Algumas vezes este estado de espírito agrava outras situações como alergias, dermatites, e outras devido ao stress e ansiedade constantes.

Por vezes usa-se a psicoterapia para dar uma ajuda nesta situação assim como a prática de exercícios relaxantes como o yoga, tai-chi e outros exercícios físicos por forma a libertarem o stress e a descontraírem a pessoa. No entanto há que fazer terapias para que se localizem as causas por detrás da ansiedade e para que dessa forma se consigam trabalhar e eliminar as causas da ansiedade.A ansiedade é uma característica das personalidades ansiosas e como tal a ansiedade tem muito a ver com a personalidade da pessoa que em muitos casos também é frequente existirem situações físicas no corpo que estão na base da ansiedade e que precisam de ser corrigidas e eliminadas para que a ansiedade se consiga vencer e ultrapassar. Psicólogos(as) utilizam técnicas de psicoterapias de apoio, comportamental-cognitiva. Psiquiatras ministram (antidepressivos e/ou ansioliticos).A maioria dos meus clientes têm uma acentuada melhora ou diminuição de suas ansiedades quando lhes ofereço a oportunidade de discutir e aprofundar suas dificuldades.

A fobia social é o medo patológico de comer, beber, tremer, enrubescer, falar, escrever, enfim, de agir de forma ridícula na presença de outras pessoas. Uma característica importante da fobia social é a ansiedade antecipatória e o sofrimento durante a exposição.No fundo, há que perceber quais as causas por detrás da ansiedade e saber como corrigi-las para que a pessoa passe a viver a sua vida da maneira que ela merece ser vivida.Fontes:Freud - James Gardner, Arthur Henry Bell

Ψ São Paulo 27/02/10 – Artigo VII - Psico-Jurídico - Terapeuta Familiar- www.sosdrogasealcool.org -psicocesarmousinho@hotmail.com Ψ

2 comentários:

Iris Pereira disse...

Nem vou prolongar meu comentário, direi apenas que quarta feira passada dia 24/02 fui internada na UTI do hospital São Paulo em Ribeirão Preto com ameaça de infarto e lendo esta matéria dou a como exemplo de tudo que vinha sentindo antes deste dia orivel.Agora recupero-me em casa e agradeço a equipe do hospital que foi rápida e atenciosa, tanbém aos amigos q deixaram recados de apoio.

Antonio Correia Lima disse...

Amiga Irismar, continuamos torcendo pela sua recuperação