quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Passeio com o olhar voltado para o passado - PARTE I Por: Antonio Correia Lima

De Ponta da Serra ao sítio Jacuipe, passando pelo Juá de baixo, (ou dos correia), Juá dos Zaquié, Juá dos Mané João, Juá dos Pedro, Juá dos Paulo( depois, dos Joel ou Juá de Derval) e Juá dos Morais ( Ou Juá de Cima).INÍCIO DO PERCURSO: Antigamente a estrada Ponta da Serra - Crato passava em frente à entrada da Malhada no local onde ficava a casa de Seu Belo Leite( antes, de Zélo Bezerra) e ia sair na residência de Tio Zé Correia. Nesse percurso, havia a pedra de Ioyô, a casa de Cazuza Chato, a casa de Luiz Gordo, a Casa de Seu Virgílio Ribeiro e outros da família.
Ao lado direito, ver-se o Posto Ponta da Serra
Antigamente, Raimundo Ribeiro e Vicente Lima, que eram cunhados, tinham uma bodega, entre a casa de Zé( depois de Seu Belo) e a entrada da Malhada.
Zé Biliu, também, morou e negociou com aluguel de pastos, nessa mesma área.
Esta é uma vista parcial do sítio Juá, tirada a partir do Posto Ponta da Serra.
Logo após o Posto Ponta da Serra, encontra-se a casa de Cícero da Construtora CL
Em seguida, vem o Bar de Everardo Leite, que é muito freqüentado, onde existe um campo de futebol
Casa de Irlande de Jorge Correia, construída no mesmo local da antiga casa de Onofre de Zé Correia
Casa de antiga de Luiz Correia, que ficava emendada a outra que morava Jorge Correia
Casa de Tio Zé Correia, que foi modificada, pois, antigamente sua frente era voltada para a estrada. Aqui no Juá de baixo morou também Miguel Paes e Taveira irmão de Cazuza Chato
Estes são os escombros da antiga casa do meu avô Cícero Correia, que era irmão de Zé Correia e outros. Foi nessa antiga casa que nasceu o meu pai Zé de Cícero, no ano de 1919. Nessa casa morou também Chico de Joaquim Bernardo c.c. Elvira de Joãozinho Ribeiro. Chico morreu vítima de explosivos juninos.
Nesse local, ficava a casa do meu bisavô paterno João Paulino Correia,com sua morte, passa a residir nesta, o seu filho Antonio Paulino Correia, que era o pai de Laís de Geraldo Lima.
A propriedade hoje pertencentes aos herdeiros de Zitô Leite, a Antonio Leite e aos herdeiros de Tio Zé Correia foi adquirida pelo meu bisavô no início do século II e era conhecida como sendo Juá dos Correia ou Juá de Baixo
Segundo Jorge Correia, todas essas terras do sítio Juá foram loteadas pelo mesmo proprietário da Serra do Juá.
Logo após, vinha o Juá dos Zaquiés, isto é a propriedade do Sr. Manuel Izaquiel onde ele morava com a mulher Das Dores e seus filhos.
Quem também moraram em frente a essa casa, foram os pais de João Maria, que casou-se pela segunda vez ,com Miúda neta de João Correia e José Bernardo Vieira.
Essa bonita casa pertence ao Gereba, empresário do ramo de alumínio. Neste local, antes, era a casa de Zé Mascena, depois da demolição da antiga casa do velho João Correia, me bisavô

Essas duas imagens mostram as casas dos familiares do Seu Zé Lourenço, que era um carpinteiro muito conhecido na região
Aqui onde hoje está a Petrobrita, antes era conhecida como Juá dos Mané João,por residir alguns membros dessa família, que eram também proprietários dessas terras.
Nesse loca, onde funciona uma usina d asfalto, ficava a casa de Chico de Quinha.
Em frente, do lado esquerdo, ficava a casa dos Gordo ( Ferreira de Morais)
Essa é a casa que pertenceu a família Pereira, do Seu Manuel Pereira e Dona Sabina
Chegamos ao Juá dos Pedro: Acima a casa de Hermenegildo Pedro da Hora, e abaixo, a casa nova do seu irmão Zé Pedro, que era casado com Mariana, neta do José Bernardo Vieira, o fundador de Ponta da Serra

Ainda no Juá dos Pedro, encontramos a antiga casa do casal joão Galdino e Maria Pedro. A maria era muito elegante e gostava muito de política, tendo sido, inclusive, candidata a vereadora
Já no Juá dos Paulo, depois, de Derval, chegamos na atual vila São Raimundo
Aqui o Juá de Derval, onde também morava o seu irmão Raimundo de Emília, ambos casados com filhas de Seu Raimundo Ribeiro
Aí estão a capelinha edificada no mesmo local de Preta, que pelas informações, era da família Paulo, e sofria de doença da mente. Ao lado está a casa de Mário Correia casado com Loura filha de Derval.
Antigamente, após Derval vinha o corredor que tinha o seu nome, por onde os caminhões davam uma volta, passando em frente à casa de Mundoza ( pai de Ruth), Antonio Morais, Antonio Folha e Seu Roque Morais
Aqui começa o Juá dos Morais ( ou Juá de Cima), onde hoje fica a casa de grosso e seus familiares
Aqui, propriamente, dito Juá dos Morais. Do primeiro casamento de um dos filhos de Antonio de Brito Correia da Palmeirinha, de nome José Raimundo de Brito, com a varzealegrense Isabel de Morais Rêgo, origina -se a família Morais Brito do sítio Jua´, uma grande prole. O filho do casal que se tornou mais conhecido foi o Pedro Morais, pai de Antonio Morais, Seu Roque, e outros,




Aqui termina o sítio Juá e inicia o sítio Jacuipe, da família Abagaro, da família dos Joel, entrelaçados na família Brito do José Raimundo de Brito.
NOTA: Família Joel teve seus membros espalhados entre o Juá dos Morais e Juá dos Paulo.
Seu Vicente Joel tinha sua casa( ainda hoje existente) na divisa do Jacuipe com o Juá
Aquí termina o sítio Jacuipe para chegar em Dona Pastora


DEDICO ESTE TRABALHO A ÍRIS PEREIRA E A DENA, FILHA DE CHICO DE QUINHA E BISNETA DE JOSÉ BERNARDO VIEIRA, O FUNDDOR DE PONTA DA SERRA

8 comentários:

Iris Pereira disse...

ODEIO você!!!!!!!!!!!!!Como pode ser assim tão mal? sei que algumas coisas mudaram, mas identifiquei a maioria,nunca vou perdoá-lo por não me avisar antes, você sabe que vejo primeiro nosso blog PS...Sabe como estou emotiva estes dias.
Você foi sozinho ao meu passado, não me convidou, entrou nele assim e ainda o registrou, não acha que estar judiando demais de mim? Vou ter um troço qualquer hora destas. A cada hora é uma surpresa maior que a outra ...mas na verdade isto tudo me leva volta ao melhor lugar do mundo: Minha inocência, eu menina, eu pura, eu amada, eu verdadeira.
Amo você professor, primo, amigo, anjo.
Por mais que um dia possa fazer algo por você, nunca pagarei o que me trouxe de volta.
Um grande e forte abraço.
ìrismar

Antonio Correia Lima disse...

Olá Irismar, ainda vou colocar as legendas, talvez, ainda hoje.
Abraços

Iris Pereira disse...

Meu querido primo, passado o primeiro momento de emoção, depois fui ver as fotos com as legendas, pois como disse, não teve um só lugar que eu não ido a pé ou no caminhão do carregado de tijolos ou de telhas lá da olaria dos meus tios. Ali onde vai para o brejo andei muito pois morei muitos anos no bairro independência, é bom demais lembrar, melhor ainda ter alguém que se dedica com tanto amor e sem medir esforços pra nos trazer essas lembranças tão vivas e visualmente.
Obrigado. E desculpa a brincadeira do odeio você. Mora no meu coração.
Írismar

pr.rubens brito disse...

parabens pelo seu trabalho

para quem faz muito tempo que nao vai por ai da para matar as saudades do coraçao.
so quem ja esteve ai sabe como esse lugar e preciso, espero voltar o mais rapido que possivel. pois as saudades sao bastante

obs: nao consegui ver o jornal de agosto nao teve?

abraços

rubensbrito@rubensbrito.com

Antonio Correia Lima disse...

Olá Rubinho, fico feliz por saber que você continua acessando o nosso blog.
Quanto ao jornal de agosto já está circulando, e ainda hoje, postarei.
Faço este trabalho com muita satisfação porque sei que muitos conterrâneos( o considero dessa forma, assim como você vai acessar e sentir feliz.
Um forte abraço

pr.rubens brito disse...

todos os dias me atualizo ai, ainda bem que a tecnologia nos faz reviver alguns bons momentos da nossa vida.

parabens pelo blog, e de excelente qualidade pois tenho muitos amigos que tem e pouco qualidade, mas o seu e de excelente qualidade e principalmente informativo.a radio sua ela na esta na net nao?

um grande abraço

Antonio Correia Lima disse...

Olá Rubinho, o que mantenho aquí, desde 2004, é uma amplificadora , que utiliza os postes de energia com pequenas caixas de som, num total de 12 pontos,atingindo as principais ruas.
Denominei de RPS - Radiodifusora Ponta da Serra.
Vou postar agora mesmo o jornal de agosto.
Sim, você deve está sabendo que estamos em processo de emancipação política. Que tal nos enviar um pequeno depoimento gravado em MP3 para que a gente possa divulgar, como forma de incentivo.
Penso em criar uma rádio web , e para tanto estou preparando, antes, umas playlists.
Um forte abraço

lisboa disse...

Parabens Antonio Correia pelo excelente trabalho. Abraços