sábado, 12 de dezembro de 2009

121209 - Doenças do Humor III - Depressão na Vida Adulta – Homens e Mulheres – Por César Mousinho


Uma depressão é um ponto ou região mais baixa que os pontos à sua volta. pt.wikipedia.org/wiki/Depressão A depressão (também chamada de transtorno depressivo maior) é um problema médico caracterizado por diversos sinais e sintomas, dentre os quais dois são essenciais Depressão. Portal Banco de Saúde. Ciclone (ou depressão ou centro de baixas pressões) é uma região em que o ar relativamente quente se eleva e favorece a formação de nuvens e precipitação. Por isso, tempo nublado, chuva e vento forte estão normalmente associados a centros de baixas pressões. A depressão é uma forma de relevo aplainado, onde podem ser encontradas baixas colinas. Como exemplo, podemos citar as Depressões Norte e Sul Amazônica. Um exemplo geral de depressão é crateras. Fase do ciclo econômico, característica das economias capitalistas, marcadas pela diminuição da produção, uma tendência à baixa dos preços e ao aumento do desemprego. (Recessão grave).Uma doença onde existe humor depressivo durante a maior parte do dia, com sentimentos de tristeza, desespero ou desmotivação, que se arrastam há já muito tempo, que interferem no normal funcionamento familiar, no trabalho ou na escola. Queda do tono normal em direção à tristeza e à melancolia.
A depressão é um estado patológico com um humor triste e doloroso associado à redução da atividade psicológica e física. A pessoa afetada pela depressão se sente impotente e a doença vem quase sempre acompanhada de outros sintomas, como a ansiedade ou a insônia.A depressão pertence ao grupo de doenças do nosso tempo e segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde, em Genebra, CID-10, ONU,UNESCO) ela está entre as três doenças que agravam cada vez mais a qualidade de vida das pessoas. Ressaltamos também que a depressão afeta duas vezes mais as mulheres do que os homens.

Depressão Masculina - segundo os especialistas a testosterona é um hormônio de interação social; é secretado em resposta a estímulos sociais como situações que despertam o interesse sexual, a hostilidade ou o humor, pois age diretamente no cérebro. Não se tem certeza ainda se os sintomas depressivos são causa, efeito ou se não têm relação alguma com os níveis de testosterona no homem. Muitos casos de depressão resistente nos homens podem ter na deficiência de testosterona (a exemplo do que acontece com o estrogênio com a mulher) sua explicação. Talvez alguns homens deprimidos com baixos níveis de testosterona só se recuperem adequadamente depois de se normalizar os níveis dos hormônios masculinos. Estudos apontam que nos homens a secreção de testosterona afeta as funções neurológicas e comportamentais como o interesse sexual, agressividade, grau de emoções. A partir dos 50 anos de idade aproximadamente começa a diminuir lentamente a secreção de testosterona. Aproximadamente 20% dos homens com mais de 60 anos de idade têm os níveis desse hormônio abaixo do "normal". As seqüelas psiquiátricas disso ainda não foram satisfatoriamente compreendidas. Existem algumas evidências da relação entre a queda dos níveis hormonais e o surgimento de depressão. Essas informações são derivadas de dois tipos de estudos: observação do comportamento dos homens com níveis baixos de testosterona circulante, e do tratamento dos sintomas depressivos com reposição hormonal complementar.

Depressão Feminina: Um dos achados frequentemente observados é o do risco para transtorno depressivo unipolar ser duas ou mais vezes maior para mulheres do que para os homens. Por transtorno depressivo unipolar se entende o quadro em que não ocorrem episódios de mania, somente depressão. O transtorno afetivo bipolar (com episódios maníacos e depressivos) parece ter distribuição semelhante entre ambos os sexos. A distimia, transtorno caracterizado por quadro depressivo leve, porém crônico (mais de dois anos de sintomas), também é duas vezes mais freqüente em mulheres. Um fato interessante levantado no estudo realizado por Ernest e Angst, em Zurique, em 1992. Em relação aos sintomas, as diferenças são menores que as observadas nas taxas de prevalência. Ainda assim, mulheres costumam apresentar com maior freqüência do que homens: desesperança, diminuição do interesse sexual, sentimentos de culpa, aumento do apetite e ganho de peso, queixas somáticas, hipocondria e manifestações de raiva/agressividade. A investigação de comorbidade (doenças associadas à depressão) em homens e mulheres, avaliados pelo já citado estudo de Zurique, revelou que mulheres deprimidas apresentavam mais fobia social, agorafobia, fobia simples e Binge Eating (comer compulsivo) do que homens deprimidos.

A síndrome do climatério compõe-se de sintomas gerais (neurogênicos, psicogenéticos e metabólicos), mamários e genitais. Entre os psicogenéticos, além da depressão, na síndrome também podem se manifestar ansiedade, irritabilidade e diminuição da libido. O estrógeno tem efeito positivo sobre o psiquismo, tais como estabilidade emocional, segurança, autoconfiança, humor, relacionamento social, antidepressivo e ansiolítico.

Tratamento: Vários tipos de depressão não podem ser evitados já que algumas teorias científicas indicam que eles podem ser causados pelo mau funcionamento do cérebro. Mas há boas evidências de que ela pode ser evitada com bons hábitos de saúde. Uma alimentação adequada, exercícios, férias, não trabalhar em excesso e guardar um tempo para fazer as coisas que curte são algumas das coisas que ajudam a deixar a tristeza de lado. Antidepressivos (são bons, mas não buscam as causas).Psicoterapia (precisa de complementos como consultas às nutricionistas, pois os depressivos necessitam de alimentações a base ferro para aumentar a Serotonina, exercícios físicos com caminhas no período matutino, e trabalhos filantrópicos).
SãoPaulo,12/12/09–Sim Para Boas Festas - Não ao Ato Médico - www.sosdrogasealcool.org


2 comentários:

Franciele Psic disse...

Devemos como profissionais da área da saúde, nos atentar para sabermos diferenciar a tristeza da depressão, pois muitas vezes pode-se confundir, devido as semelhanças existentes entre essas, uma vez que a depressão é uma doença que pode começar de repente ou tão devagar que a pessoa mal percebe, entre suas características bem explicitas no artigo existe a tristeza que passa a ser tão intensa que a pessoa deixa de viver sua vida, e duas formas de distiguí-la da depressão, são; a quantidade de sintomas apresentados e a sua intensidade, e o quanto isso prejudica nossa vida. Então parabenizo o psicólogo J.C. Mousinho pelo o lecionamento com seu artigo à nós acadêmicos, Profissionais da saúde e outros...
Franciele Ramos, Lages, SC!!!

Cristina Jorge disse...

Trabalho muito interessante...;)

http://tratamentodadepressao.org/

Todo o Sucesso... :)