sábado, 25 de outubro de 2008

VICENTE LIMA









Foto 01 - sobradinho construído por Vicente Lima em 1932.
Foto 02 - do 2º casamento de Francisco de Assis Lima (Dão) filho mais velho de Vicente Lima, hoje com 83 anos, com Maria Jorgina Paes Lima (1203.08
).
A Ponta da Serra muito deve a Vicente Lima. É só olhar ao nosso redor e ver um exemplo do que dizemos. Em 1932, ano de uma grande seca, ele edificou um sobradinho que resiste aos tempos e ainda está de pé (veja foto) Nesta mesma década ele instala uma loja de tecidos onde negociou por muitos anos. Foi um dos primeiros bodegueiros da Povoação de Ponta da Serra, juntamente com seu cunhado Raimundo Ribeiro, tendo sido também pioneiro na fabricação do cigarro brabo, legado deixado ao seu filho Geraldo que mantém o negócio até hoje.
Vicente Lima era um dos troncos dos Correia do Juá, sendo portanto, irmão de João Paulino Correia, Raimundo José de Lima(Raimundo Gondinha), Joaquim José de Lima ( Joaquim Isabel), Chiquinha, Luciana (Avó de Cazuza Chato) e João Birro.
Era casado com Anunciada, irmã de Raimundo Ribeiro com quem teve os seguintes filhos: Dão, Derval, Expedito, Nonato, Geraldo, Ozair, Ozanira, Oly.
Com sua morte, em 1949, sua viúva e cinco de seus filhos deixam a Povoação em direção ao Crato, depois, Fortaleza e por último Rio de Janeiro, onde se estabeleceram no ramo de calçados, constituindo família e onde vivem até hoje.
No momento destacamos o segundo casamento do filho mais velho de Vicente Lima, Francisco de Assis de Lima, o Dão, que aos 83 anos casa-se pela segunda vez, após sua viuvez. Prestamos também homenagens a todos os demais irmãos, inclusive Geraldo que se encontra com sua esposa Laís e o seu filho Adriano no convívio dos familiares no Rio de Janeiro.
Assim, devemos dizer que graças o advento da Internet estamos desenvolvendo o laço de contactos entre a nossa Ponta da Serra, prestes á sua emancipação, e seus filhos distantes.
Nota: a 2ª foto foi enviada por Ozanira

Um comentário:

ozanira disse...

Antonio, fiquei até emocionada ao ver o sobradinho que o "meu pai" construiu, ao mesmo tempo triste pois acho que poderíamos dar um trato nele!!!
Parabéns por suas palavras bem escritas e até carinhosas.
Um abraço!
Ozanira